Thursday, September 13, 2007

3:33

Gostava de te conseguir calar de vez. Apagar-te do meu corpo. Arrancar-te à força de lá. Rasgar a alma em pedaços pequenos que não se pudessem unificar outra vez. Para sempre fora de mim. Quero experimentar o vazio dessa falta...como um peso imenso em mim. Como por diversão Arrepiar-me com uma perda crua, morta. Fraquejar de dor e facilmente estender-te as minhas duas mãos nuas. Oferecer-me sem pudor algum. E finalmente prostrar-me completamente. Cair de joelhos aos teus pés e fingir que não vejo. Que não sou digna de querer ver sequer. Prefiro cegar de vez. Não me permitir mais expor-me assim a este ciúme insaciável. Que me consome. Que nos consome.
Revejo as inúmeras vezes que o faço. Experimento este prazer perverso na dor que me enlouquece. Como se sofrer acalmasse a alma. Calasse os gritos sôfregos do nosso íntimo. Toda a gente cala a alma, digam-me que sim. Que não estou louca. Ou que pelo menos não estou só. Amarramos com força essas vozes para podermos descansar o corpo. Adormecer o coração em silêncios mudos. Existem silêncios que não são mudos. Que nos falam mais que a própria voz. Essa, por vezes, cansa-nos o ser. Enche-nos os ouvidos.
Dá-me uma vontade excêntrica de permanecer acordada para sempre. Desço os olhos até ao relógio [3:33]. A noite...a pior conselheira de sempre. Mentirosa. Perspicaz nos nossos maiores medos.
Percorro exactamente as mesmas palavras de sempre, qualquer dia conheço-as de cor. Sinto o meu coração apertar-se. Chega a doer. Dói e eu não sei parar. Sinto-me subjugada a este prazer estonteante que não entendo e que quando parte deixa este aperto. Este som de vazio no meu pensamento. Levanto o olhar e de repente tudo me parece diferente. Não me enquadro em nenhum espaço. Não pertenço a mim mesma, não sou eu que falo, está alguém dentro de mim que me sussurra tentações. E eu cedo. E dói mais ainda. Vivo uma vida que não a minha. Quero viver a tua. Como se o presente fosse mera fantasia. Pouco para matar a minha fome. O passado quase me sacia. O futuro não me fascina.
Estendo-me no chão entregue a este momento. Rendida a este sofrimento que eu própria procuro. Que eu própria recrio. Sinto fome de mais. Queria ler-te mais uma vez. Percorrer com os meus olhos que eu desejo ver cegos, as tuas palavras infiéis. Entrego-me totalmente à minha perversa tarefa de me dividir em pedaços sem significado. Repito a mim mesma que as tuas palavras não são mais do que cópias. O original não está em meu poder e é nele que me delicio sabendo que não me vai pertencer jamais. Quero as tuas palavras virgens. O teu ser. Os teus sentimentos. E esgoto-me assim a mim mesma. Acabo sem saber se não foi tudo uma criação na minha cabeça. Apetece-me marcar o teu número e disparatar sem fim sabendo que do outro lado, tu dormes apenas. Ser louca ao ponto de invocar a tua fidelidade e deixar-te no vazio da resposta. Deixar-te de rastos também. Sentir que estás de joelhos, rendido. Tal como eu.

Deixar-te sem sono e dormir eu por fim.

8 comments:

Pedro Lopes said...

está bonito o texto


como já te disse não gosto particularmente do género, mas não deixa de ser uma excelente peça de literatura

beijo daqueles @

Teresa Pimenta said...

texto violento, mas bom! :)

[Deixar-te sem sono e dormir eu por fim...]
'egoísmo' delicioso de se ler! :)

bjinho ***

Anonymous said...

Egoísta, como diz a Teresa Pimenta.

Mas muito bom. Quem me dera sentir assim...

Francis, dos Churrascos.

(Un)Hapiness said...

bonito texto. sofredor, a transbordar de sensações!!
às vezes o poder da mente eleva-se demasiado, deixa-nos quase irracionais, sem que o possámos controlar.
brigada pela passagem por lá...:)
bjinhos, tudo de bom

pecado original said...

E parece uma alucinação e ao mesmo tempo tão real.
É de perder o chão este teu espaço.

Espero voltar a ver-te, um beijo

Luis Martino said...

que te levem os cortes, pois ja nao sabes se te doi por sangrarem ou por nao teres por quem os cortar...

Páginas Soltas said...

Porque eu sei que gostas dele, que o queres. E sei que os textos passados me dizem k ele tb te ker... beijinho

fernando killer said...

happiness....

esse numero me demarca... isso que voce disse no texto...ow copiou ...sei la ..viajei... mais parece eu...

oq seria??? estou fritando... pensando nisso...

sempre 3:33

fvieira_@hotmail.com

em todas as situações... oq eh isso???