Friday, January 19, 2007

Desistir: Renunciar a alguma coisa



Há uns dias li por aí uma frase deste género: “Se estás a tentar conseguir algo mas não és capaz, desiste e dedica-te a outra coisa”.
Desistir: Renunciar a alguma coisa.
Renunciar: Recusar aquilo a que se tem direito.
Enfim, não vamos estar com mais definições porque Recusar significa Rejeitar e posteriormente Rejeitar é um sinónimo e entramos num ciclo vicioso. Não há nada pior que ciclos de vida. Não gosto de coisas repetitivas.
Pronto, já chega. Vamos voltar ao raciocínio anterior, achei essa frase tão mas tão despropositada que não podia deixar de dar a minha opinião. Não há nada mais estúpido que desistir. Não há nada que limite mais as hipóteses do que dar a vitória às dificuldades, sim...porque o que é fácil geralmente não traz qualquer realização pessoal. Depois há uma questão a ter em conta. Haverão coisas impossíveis? Haverá alguma coisa que nos dispomos a tentar mas que no fim se prova ser completamente impossível? Será que o esforço compensa sempre? Será que damos 100% de nós?
Alguma vez deram tudo por alguma coisa que no fim falhou por completo?
Também não sei até que ponto é gratificante passar metade da vida a lutar, a tentar desenfreadamente alcançar alguma coisa. O ser humano é estranho, quando por fim chega ao que tanto procurou, abre as mãos e abandona deliberadamente o seu feito, deixa-o partir como se afinal não fosse assim tão importante tê-lo. São essas as (pequenas) coisas que talvez nunca vá perceber na Vida.
Está cientificamente provado que todos temos capacidades e aptidões diferentes, a nossa mente desenvolve-se individualmente e nessa evolução interagem diferentes factores que muitas vezes nos são totalmente alheios, impassíveis de serem alterados. É uma lei. Eu não gosto de leis nem de regras, sigo-as às vezes...lá tem que ser! Mas esta levanta muitas dúvidas, parece-me injusto nascermos já com um código genético que vai impingir um percurso de vida dependente das nossas capacidades cognitivas.
Eu posso ser quem eu quero, fazer o que quiser, alcaçar qualquer coisa.
Sei que é mentira, sabem-no também.
Então, que fazer? Sujeitamo-nos a ser o que um código genético qualquer nos permite? Ou lutamos sem nunca desistir?

(to be continued...)

Todos uns heróis por aí...era como deveria ser, um mundo de super-heróis com poderes sobre-naturais...

Nem assim, talvez nem assim...

Listening to: Frou Frou “Holding Out for a Hero”

/eu própria

11 comments:

Anonymous said...

bonito...

nós temos todos um herói dentro de nós!

Existe uma estrela no céu que ninguem vê senão eu! said...

Oi Quando queremos muito alguma coisa, mesmo que quando a gente chegue lá e não valorize á sempre um percurso é esse percurso que no meu ponto de vista nos vai fazer ser seres melhores por isso nunca devemos desistir do que queremos, só se já nao fizer sentido querer! bjs

Leonoretta said...

hapiness

foi uma surpresa boa ver que me linkaste.

respeito o teu ponto de vista. admiro a maneira como o expões. aprecio quando as pessoas nao tem medo de dizer o que pensam.
confesso que eu desisto muitas vezes. quando vejo que remo contra a maré ... quando não estou capacitada a ultrapassar o obstaculo.
se dou 100% de mim? pois. se calhar nao dou... se calhar nao quero... se calhar nao posso.
colocaste um tema que dá para pensar muito. e ainda bem.viva.
beijinhos da leonoreta

Conceição Bernardino said...

A alegria é um dom que se adquire a arte a tristeza que se transpira
em beleza...
Eu volto
Beijinhos
Belo
Conceição Bernardino

Meus blogs http://amanhecer-poesia.blogspot.com

http://sentidos-visuais.blogspot.com

delilah said...

eu prefiro lutar :P
bom texto.
*

francis said...

Desistência, insistência. Tudo um jogo de palavras à mercê do nosso senso.
Fórmulas certas não existem. A ponderação é requerida e também o apoio daqueles que nos querem bem :-)

.*.Magia.*. said...

Eu sinto cada um de nós como um super heroi...

Quanto ao desistir ou não...somos todos tão diferentes que me é dificil dizer sim ou não a desistir...
Depende das circunstâncias, dos emoções, dos sentimentos, depende do espaço, do momento...depende do cheiro do ar, da cor do céu...
Não me conheço ainda o suficiente para prever o que fazer ou não em determinada situação, para saber o que será melhor ou pior para mim...
A vida é um caminho que tem muitos caminhos, uns melhores, outros piores. Por vezes temos que atravessar terrenos lamacentos para encontrarmos estradas limpas e planas. Mas se soubermos de um caminho melhor para lá chegar, tenho a certeza que abdicamos da lama...depende sempre do momento, do impulso!

Há muito tempo que não entrava pela tua porta...Gostei de aqui estar!
Um beijinho para ti!

FB said...

Oi.

É a lutar que encontras o que ou quem queres.Por vezes lutar não basta, não adianta sequer. Certo é que desistir ou renunciar sem lutarprimeiro não faz sentido. Sabes bem disso :p
Nós somos o que queremos ser, com ou sem máscara, de um modo ou outro, não interessa. Com ou sem leis, com ou sem suposições cientificas a vida é um sem fim de alternativas, de possibilidades, alegrias e tristezas. Delas dependemos nós. Elas fazem-nos, nós fazemo-nos a nós próprios. Só assim tudo isto faz sentido.
Fará sentido lutar, quando sabes que é causa perdida? Sim!! Sem dúvida que faz. Outra coisa é teres força para lutares quando te sentes pequenino e só vês muros enormes que julgas que jamais conseguirás saltar. Atrás deles estão os teus objectivos. Alcança-os. Se não conseguires, ao menos tentaste.
Mas acredita, lutar por vezes torna-se muito pouco gratificante, por vezes o que nos interessa está à nossa frente, sob forma de coisa simples a que nem ligamos. Nelas por vezes está a felicidade, é só procurá-la.

Beixinho peste

B. said...

passei por aqui por mero acaso... e.... fiquei fascinada pelo teu blog, e pela tua criatividade.

parabens

miguel said...

A vida é o caminho. A viagem.

Michi. ;D

Gabriel said...

Simplesmente fantástico!
Adorei Andy...Bjinhs!!!