Friday, January 26, 2007

(des)Encontros



Hoje disseram-me algo assim: “Para viveres o futuro tens que esquecer o passado”.
Tenho?
Quem me conhece sabe que eu não gosto de falar do tempo, odeio ver os segundos a passar num relógio, odeio passagens de ano, odeio aqueles momentos em que alguem diz “outros tempos” ou então, “o tempo passa tão rápido”.
Não sei porquê. Assusta-me saber que alguma coisa nos controla a todos, nos limita diariamente.
Talvez tenhas razão, sou agarrada ao passado, a todos os momentos que vivi.
Mas pensei nisso, sabes? E descobri que não é o passado que me incomoda, na verdade, tenho saudades de mim própria, de ser quem eu era.
Não me orgulho das minhas atitudes mais recentes, não gosto do que aprendi, preferia não saber que era assim.
Não gosto do que tu me ensinaste, pensas que me conheces. Aliás, tu pensas que sabes tudo. Tu estás sempre certo. Tu achas-te diferente mas ,no fundo, só tens ainda mais medo do que eu de ser Pessoa, de Viver...
Agora, observo-te de longe, como se assistisse a um filme, vejo o decorrer dos acontecimentos e sou ainda mais perspicaz, prevejo!
Não me consegues mentir, já devias saber. Insistes em esconder(-te), insistes em mascarar as palavras que escolhes, cuidadosamente, antes de chegares até mim.
Eu sorrio da tua ingenuidade. Sorrio da minha ingenuidade. Só eu vou relembrar.
(...) Já esqueci, sinto-me melhor sem ti. Seria de se esperar, tu nunca pensaste sequer se eu estava bem, talvez nem te lembres que eu existi, não combinamos em nada! Sorrio novamente.
Fizeste-me ver coisas novas, perceber que estava a seguir o caminho errado, fizeste-me perceber que estava a ignorar a pessoa certa e agora estás a dar-me forças para lutar por isso, mesmo que nem te apercebas.
Penso, pela primeira vez, na forma como tudo se passou, penso nas coisas que nunca tive coragem de te dizer, relembro uma das últimas vezes que estivémos juntos...no que deixei de sentir. Se calhar, percebi apenas que nunca tinha sentido. Sorriso.
Agora queria ser capaz de te pedir ajuda e também queria ajudar-te a ti.
Eu já vi, passei para papel até, quis sentir nas minhas mãos, quis ler melhor...sair de casa com o papel no bolso, agarrar no carro e andar por aí. Tens que ser capaz desta vez, só espero que me digas (por capricho talvez).
O futuro agora...
Sei que me podes ajudar com o meu próximo caminho, estás tão perto dele. Penso se vou ter coragem para te dizer isso. Talvez não. Não sei o que irias pensar de mim se agora te dissesse que não eras tu, que me enganei. Talvez nunca o diga a nínguem.
Só a mim própria e baixinho...enquanto durmo.

Despeço-me de ti assim, com um sorriso.
Obrigada por tudo =)

/eu própria

2 comments:

Té § [Pi]menta =) said...

e 'e a melhor despedida que poder fazer... com um sorriso!'e sinal q n guardas mágoas, 'e sinal q conseguiste dar a volta por cima!tb n gosto do tempo... e tb sou demasiado agarrada ao passado e aos momentos bonitos q vivi... porque... para que serve a memória senao para ter sempre presente o passado? * bjinho

joaninha said...

Sobrevalorizar a passagem do tempo só nos deixa tristes e faz-nos pensar nas coisas menos boas da vida ou dos bons momentos que passaram depressa demais. Portanto, o melhor é deixar que tudo corra ao seu ritmo, naturalmente. Assim é que somos felizes :)

E o passado pode ser o ponto de partida para um excelente futuro :)

Beijinho*