Wednesday, November 01, 2006

Sweet November


Acordo todos os dias à hora por ti marcada, visto os mesmos jeans que escolhi no dia mais doce que Novembro tem e olho previsivelmente para o relógio que está agora condenado a marcar eternamente a mesma hora, desço os olhos para o calendário de papel que perdeu os restantes onze meses para me lembrar que existe apenas um único dia na minha vida.
Abro a janela mais uma vez, tal como tu gostas, arranco apressadamente uma flor no jardim abandonado e corro para ti…
Atravesso todos os dias a mesma neblina, percorro a mesma calçada desgastada pelo sol e pelo sal que o mar alberga, enfrento o mesmo ar gelado e os mesmos rostos marcados pelo tempo.
Sinto em cada passo que dou para ti, a mesma ânsia de dois amantes que se encontram às escondidas, de dois amantes que conhecem o peso do preconceito, de dois amantes que sabem agora que afinal os “amores impossíveis” existem.
Quando chego ao destino já sei o que me espera, sento-me junto ao paredão com as pernas soltas, fecho os olhos e sei de cor a paisagem que se desenha à minha frente. Reconheço o cheiro envolvente melhor que o meu, percorro mentalmente as rochas nascidas dentro deste mar inconstante…como são magníficas.... Aconchego-me bem, sei que as próximas horas vão ser rigorosas.
Então, estou novamente preparado para te receber, apareces envolta num lenço e num sorriso indescritível. Agarro-te esfomeado de desejo…não hesito em aquecer a tua boca com a minha. O teu coração marca os minutos que nos restam, ambos sabemos que nada é eterno. De repente, deixo de saber quem se ama mais, se as nossas almas ou os nossos corpos…amamo-nos como o mar ama as rochas que humedece a cada passagem, amamo-nos como todo o esplendor em nosso redor, amamo-nos do mesmo modo intenso que as gaivotas amam o oceano, amamo-nos sem limites ao compasso imposto pelos sons que nos escutam. Sentimos a explosão de sentimentos, uma onda desfaz-se pelas rochas…invadindo-as intimamente numa sensação de posse que só a Natureza conhece.
Permaneço uns instantes de olhos fechados a desfrutar do gosto incomparável que este passeio deixa na minha boca todos os dias.
Todos os dias desde que partiste, todos os dias são Novembro e todos os dias te amo com o mesmo pormenor de há (quantos anos atrás?), todos os dias te transformo minha…
O mar é a minha mais fiel testemunha, fica ali a observar-me enquanto nos amamos… o mar pára para me ver, fica curioso com a força do nosso amor e sofre porque sabe que foi ele que te levou de mim…é nele que habitas agora, agitas-te no seu interior para sempre, percorres o mundo com ele mas todos os dias me esperas na manhã de Novembro, sei que é o teu cheiro que emana do mar nessa hora por ti marcada, sei que és tu quem invade o rochedo enquanto eu de olhos fechados te tenho em mim, sei que és tu a rainha dos mares agora…
Nunca me vou cansar de te vir amar aqui, este lugar é o mais terno da minha vida (é o único que realmente existe), nunca te vou abandonar e já não sinto ciúmes desse mar que te levou porque te reconheço nele…
Sou teu, rainha dos mares…

(num salto livre entrego-me a ti, agora sim eternamente, sorrio porque sei que agora sou teu)

foto de
http://eyereflections.blogspot.com/ (sei que escrevi este texto para ti, espero que nao te importes que tambem o tenha postado no meu blog)

/eu propria

9 comments:

fi said...

lindo texto...

sem duvida que o mar nos tranforma por completo, faz-nos pensar, deixa-nos sentir...
gosto do mar...

beijinho kerida**

PS: gosto do mar e gosto de ti ;)

pequenita (quando o teu corpo e o meu) said...

Entre o corpo de uma mulher
E o de um homem
Há mais mistérios do que
O céu e a terra
Poderiam imaginar.

Kisssesssss pequenita

joaninha said...

Lindo o texto. Mesmo muito inspirado. Lá vai mais um suspiro...

Bjins*

Sandro said...

Ainda bem que o escreveste aqui e partilhaste connosco..
Gostei muito..
Um beijo

O pensador said...

oi happiness gostei do texto...paesar de nãp apreciar muito prosa ta um texto bonito como todos os que pões nos teus posts...
beijoo pensador

Té § [Pi]menta =) said...

fiquei arrepiada no fim de ler este texto! magnífico!! emociona! os meus parabéns, desde já! como o mar, simples água transparente, pode contar tanto!... adorei!* bjo

O Sibarita said...

Você é danadinha na prosa, hein? Tão bem escrita que parece que estamos dentro do texto.

bjs.

O Sibarita

.*.Magia.*. said...

Olá!
Este é um dos mais ternos textos de amor que já li!

LINDO!

El-Gee said...

Gostei imenso disto. Se calhar nao do texto em si, mas de imaginar que uma mulher o escreve. Tragico, intenso. Real. Tou espantado com a tua maturidade. *