Wednesday, March 11, 2015

ser mãe é conhecer palavras assustadoras

há sempre aqueles dias em que nos questionamos se estamos a agir da forma mais correcta. pronto, muitos dias. olhamos para o nosso filho e tentamos perceber se ele é feliz, se ele é mimado demais, se o estragamos, se não lhe demos atenção que chegue, atenção a mais, se ele se sabe comportar, se sabe os limites, se um dia conseguiremos educá-lo.
ao ser mãe aprendi que muitas palavras podem ser incrivelmente assustadoras.
cólicas. morte súbita. percentis. vsr. saturações.quedas. síndromes. sono. medo. berçário. mãe. pai. saudade. manchas. pintas. febre. sonhos. e EDUCAR.

uma dessas palavras é educar. nada pode ser tão assustador.
como amar tanto alguém e ainda assim estar preocupado com educar?
como querer passar o dia a fazer alguém tão feliz e educar? como dar tudo por tudo para ouvir aquele riso que nos abre o peito e nos enche de amor e mesmo assim dizer "não", contrariar, causar lágrimas quando tudo o queremos é ver um sorriso. é duro. é duro educar. é duro fazer chorar sabendo que é para que o seu sorriso se mantenha, seja real a vida inteira. é dizer "não" para que ele seja uma pessoa melhor, mais feliz, mais confiante. é estabelecer limites para ele um dia saber ser humilde, saber compreender o mundo e ver para além do próprio umbigo.

eu quero acreditar que educar é um processo diário, educar é quando somos sinceros connosco mesmos, quando nos guiamos pelo nosso instinto e nos deixamos ser mães. mães verdadeiras. eu quero acreditar que, para já, educar é mostrar o quanto eu o consigo amar. mostrar que me surpreende que possa amar mais. educar tem sido mostrar que também pouco sei sobre isto tudo, que há dias piores e melhores, mas que faço tudo para ter um sorriso pronto para ele. educar é dar o meu colo porque nada me faz sentir melhor por dentro, ser mãe mostrou-me que afinal tenho super poderes que não sabia, um colo que cura tudo, um beijo que mata bichinhos, um abraço que faz cessar lágrimas. educar tem sido mostrar como é a nossa vida lá por casa e que ele faz todos os dias parte. tento dizer não e ele já conhece essa palavra. mas conhece também a palavra amor. a palavra felicidade. a palavra mãe e pai.

eu quero acreditar que educar vem também de dentro. vem do nosso interior. do nosso melhor instinto. porque amar é tudo junto. é querer ser o melhor para ele. é querer ser mãe e amiga e professora e médica e tudo junto.
é querer que ele estenda os braços sempre na nossa direcção. é deixá-los ir de lágrima no olho mas com um incentivo pronto. é dizer não também e explicar que chorar também faz parte. é contrariar para que entenda que a vida às vezes pode ser dura e que é importante lidar com frustrações.

ser mãe é carregar um mundo em cima e mesmo assim não se imaginar de outra forma. nunca mais. todos os dias.

todos os dias mãe.



4 comments:

Opinante said...

É um grande desafio!

Luciana said...

Educar é tramado!
Não há receitas milagrosas. Das coisas que mais me irrita, são crianças mal educadas...e como "pela boca morre o peixe", ainda me saí um assim!
Educar é tudo: amar, ralhar, baralhar e voltar a dar :)
Aqui o Di ainda não percebe o não. Pensa que estamos a dizer alguma piada porque se ri logo.
Acho que devemos seguir uma linha orientadora, mas a educação é feita dia a dia e caso a caso.
Beijinhos

Rabiscos de Amor said...

Uau... é a primeira palavra que me vem à cabeça depois de ler o teu post... que palavras tão bonitas e sinceras...
Muitos dias, também olho para ele com aquele olhar tão vivo e tão ingénuo e penso se vou conseguir... hoje lembro-me tantas vezes da educação que me foi dada. Dos 'nãos' que ouvi.. As vezes em que não compreendi quando os meus pais me diziam que quando fosse mãe ia perceber. Das vezes que me zanguei porque não me deixavam fazer ou não me davam o que eu queria... acredito que faz parte da "nossa melhor aventura" como disseste :)
Vamos fazer o melhor que as circunstâncias nos permitirem... Educar é tanta coisa ao mesmo tempo... boas e más...
Beijinho

Monika Kardoso said...

Tal e qual...Educar é das coisas mais dificeis e um grande desafio. Saber idzer "não" é saber amar, é muito importante saberem lidar com as frustrações. Reconheço que digo menos vezes "não" do que o marido pois sinto me mal quando vejo lhe lágrimas mas tenho tentado contrariar porque não quero ter uma criança mimada e que não saiba os limites.
beijinhos