Friday, October 26, 2012


Emprestaste-me um livro, eu fiz dele a nossa história, já que a nossa nunca existiu. Transformei-nos nas personagens e reli, vezes sem conta, os nossos diálogos, como se fossem palavras nossas. Por momentos, a nossa história existiu, não era necessariamente a mais bonita das histórias de amor, mas isso não importa. Era uma história. Podia ficar acordada a relembrar-nos.
Depois disto, escrevi-te. Escrevi tanto, até me doer a mão e a alma. Escrevi-te mais do que as palavras do próprio livro. Escrevi-te para que talvez me amasses ao ler-me. Pensei que podias amar, talvez, a personagem que ali te descrevia.
Mas nunca existiu amor, nem uma história para contar. Há pessoas assim. Há caminhos que não se cruzam nunca. 

3 comments:

Corre como uma menina said...

Tão bonito! :) Todos temos desses livros de histórias de faz-de-conta e desencontros.

Beijinhos

palavraderita said...

gosto :)

Joana said...

Muito bonito :)

Beijinhos e bom fim-de-semana :)