Monday, October 15, 2012

arrependimento, um dia

estou sempre a pensar que um dia ainda vou lamentar todas as vezes que não te liguei. vou lamentar as impaciências, as birras, as respostas tortas. um dia vou ter tantas saudades tuas que vou arrepender-me de todos os minutos que não passei mais perto de ti. de todas as vezes que preferi estar com os amigos ou com o namorado, com jogos, computadores ou filmes.
vais sempre cheirar a pão acabado de fazer, a ovos-mexidos com azeite, filhós acabadas de fritar, a miniaturas de perfume que eram às dezenas no teu quarto, a laca para o cabelo, a terra molhada e a erva do jardim. nas lembranças não ficarão os olhares enfurecidos ou os desvarios que te caracterizam. ficarão as palavras doces, as lágrimas de despedida, os croquetes com batatas-fritas, os lanches para todos os amigos, as brincadeiras incansáveis, os carinhos, as preocupações verdadeiras. de ti ficarão as histórias, as aventuras, as chantagens por amor, as músicas da igreja.
fica tanto de ti. e eu dou-te tão pouco agora.
não é esquecimento.
será arrependimento um dia, eu sei que sim.. é mesmo assim.

6 comments:

Joana said...

Eu sinto-me tanto assim em relação à minha avó :( Mas só depende de nós mudar isso ;)

Beijinhos e boa noite :D

palavraderita said...

tão bonito, tão verdade!*

Corre como uma menina said...

Como eu te entendo... E o facto de termos consciência de algo não significa que seja fácil alterá-lo... Beijinhos**

tralhas de mulher said...
This comment has been removed by the author.
Pedro Lopes said...
This comment has been removed by the author.
Nilson Barcelli said...

Quase só nos arrependemos do que não fazemos. E a omissão é talvez o que acontece com maior frequência. E quando se trata de alguém a quem muito amamos, uma mãe, por exemplo, o arrependimento pode ser maior ainda...
Gostei do texto. Vi que abriste o teu coração às palavras.
Beijinhos, Andreia.