Monday, August 27, 2007

Girl, Interrupted

"

- I want some fucking fresh air
- You don´t have to yell
- How the fuck else am I going to get any attention in this place?
- I´m right in front of you now (...) I´m paying attention
- Then you know what I want
- I´ll get an aide to open your window
- Window (...) I´m not interested in some fucking window
- It´s window or nothing, Lisa
- Window or nothing (...) I´d just like to see how you´d manage this place, never going outside, never even breathing fresh air, never being able to open your own fucking window, with bunch of sissy counts telling you what to do. Valerie time for lunch, Valerie, you don´t have to yell, Valerie, time for your sleeping meds, Valerie stop acting out. You know? I mean, how the fuck would you manage, hunh?

The head nurse´s name was Valerie.

- Valerie! I want you to open my window
- I´m busy, Lisa
- I´ll call my lawyer

(...)

- Your window´s open
- I´m aware of that
- You aren´t even going in there, are you?
- It passes the time!

"

Girl, Interrupted




Há dias que gostava de poder simplesmente dizer que sou louca...poder gritar com toda a gente em vez de gritar para dentro de mim.
Há dias assim. De paranóia interior.

/eu própria

11 comments:

Pedro Lopes said...

um pouco de loucura é sempre bom, mas tudo tem um limite =P

mas concordo que é melhor gritares com toda a gente em vez de gritares para dentro de ti!!

* beijo daqueles...

MANDALAS POEMAS said...

Hola, cordial saludo. Desde Barranquilla, Colombia, te envío un fuerte abrazo y mis felicitaciones por tu blog y en especial por su contenido. Te invito muy cordialmente a que visites el mio donde están consignados mis poemas. Estos poemas los puedes utilizar si lo estimas conveniente. Igualmente, si puedes, recomienda mi blog con tus amigos y contactos. Espero tu visita y tus valiosos comentarios.

www.mandalaspoemas.blogspot.com

Con afecto,

Víctor González Solano

impulsos said...

Subi ao altar das emoções
Contemplei o verde salpicado de branco
Percorri os montes da nostalgia

Embrenhei-me nos caminhos que julguei perdidos
E me levaram ao coração de uma outra vida
De um outro tempo...

Reencontrei rostos conhecidos
Sequiosos da mesma água
Que ali nos levou naquela tarde...

Por fim...
... descansei no vale das minhas lembranças
Deste quadro que a memória não esqueceu!

Agora...

... estou aqui de novo e em breve te virei retribuir o carinho e a atenção com que me presenteaste na minha ausência!

ATÉ JÁ...

CatWorld said...

loucura, todos nos as temos!
e as vezes sabe tao bem!
se livre!
beijoca!

delilah said...

então grita! sente o sangue ferver-te nas veias, a vida passar-te no miocárdio e o coração disparado numa adrenalina sem fim. grita, se tiver d ser. mas nao deixes de te sentir viva!
beijinho

Teresa Pimenta said...

ha' dias assim d facto :P dias em q somos loucas e queremos q toda a gente saiba ! a vida e' um risco, e ter um bocadinho de loucura e' um objectivo! ;) ** bjinho, gostei do texto em ingles

Páginas Soltas said...

Então grita, faz-te ouvir e sentir em todos os que te rodeiam. Desde que te sintas bem, nada mais importa =)
beijinho

Nilson Barcelli said...

E ando eu a pintar janelas nas paredes pensando-me o único louco a sério cá do bairro...
Diz o que te apetecer antes que rebentes... ou então rebenta antes que morras asfixiada. Abre janelas...
Bfds, beijinhos.

Sandro said...

É verdade.. há dias em que um gritar nos traz uma calma imensa!

Catia said...

Gritos de alma libertam :) Grita.


beijinhos*****

Anonymous said...

Compreendo perfeitamente a rapariga. Certa vez tentei abrir a janela do avião e não me deixaram.

Francis, Barbiku :-)