Tuesday, November 21, 2006

(Só) o Tempo...


(Im)precisão condescendente… de quem supera e não, nunca alcança. Pretende. Mas não tem, deseja sem compreender. Menina (in)compreendida. Saudosa esperança que vagueia incerta como aqueles pedaços de papel rabiscados que toda a gente guarda no fundo do armário, em caixinhas bem arrumadas. Tolices. Beijos quentes e proibidos, vazios. Vácuo infinito. Medos superados sozinha. Arrasto-me por aí como uma alma penada sem olhar, vejo-te nas esquinas mais sombrias e escondo-me timidamente. Franqueza. Digo, melhor, grito as palavras que te magoam os ouvidos, não me arrependo. Corajosa com medo. Perco noção do tempo, já não sei falar(te).
"Diz que eu não senti teu corpo sobre o meu!
Quando eu cair eu espero ao menos que olhes para trás!
Diz que nao te afastas de algo que é também teu!"

Bebo gotas de ti e sobrevivo, depois escasseias(me) e quase morro…enfraqueço por aí. Não faças como se não quisesses ver, não quisesses saber…
Tapo os ouvidos com força como uma criança assustada, não quero saber mais do que me dizem, meses de tortura…agora não me interessa mais, (re)leio as tuas palavras passadas e sim…

Fazes(me) Falta!
"Foi mudar o mundo sem pensar em mim!
Mas o tempo até passou, e és o que ele me ensinou:
uma chaga p'ra lembrar que há um fim!"
/eu propria

13 comments:

O pensador said...

oi...gostei do post e das palavras mas estas mt triste, será tudo tristeza do fim e do adeus??
bjoo

BlueShell said...

Um Beijo ternurento
BShell

Alex Flôr Negra said...

Pois...Muitas vezes para nossa infelicidade(ou felicidade) esquecemo-nos que tudo tem um inicio e um fim quer queiramos ou não...
Muitas das vezes os finais chegam quando menos esperamos...Tal como num filme...
Felicidades...
*

curtição said...

Há MUITOS fins.

até há um que será só teu.

felizmente, exceptuando esse, todos trazem novos começos.

;D

Sandro said...

Um post que espelha tristeza?
Ou mera ilusão "optica"?
Espero-te bem... Um beijo

Anonymous said...

Os "fins" são tristes, mesmo que sejam necessários. Depois, há que tentar ganhar gosto por cada dia que passa. **

Pedro Lopes said...

eu adoro essa música! =)

está bonito... e tem as palavras "tolices" e "infinito"... vale só por isso! =P

pequenita (quando o teu corpo e o meu) said...

A Loucura resolveu convidar os amigos para tomar um cafe em sua casa. Todos os convidados foram.
Apos o cafe, a Loucura propos:
- Vamos brincar ao esconde-esconde?
- Esconde-esconde? O que e isso? - Perguntou a Curiosidade.
- Esconde-esconde e uma brincadeira. Eu conto ate cem e voces escondem-se.
Ao terminar de contar, eu vou procurar, e o primeiro a ser encontrado sera o proximo a contar.
Todos aceitaram, menos o Medo e a Preguica.
1,2,3,... - a Loucura comecou a contar.
A Pressa escondeu-se primeiro, num lugar qualquer.
A Timidez, timida como sempre, escondeu-se na copa de uma arvore.
A Alegria correu para o meio do jardim.
Ja a Tristeza comeýou a chorar, pois nao encontrava um local apropriado para se esconder.
A Inveja acompanhou o Triunfo e se escondeu perto dele debaixo de uma pedra.
A Loucura continuava a contar e os seus amigos iam-se escondendo.
O Desespero ficou desesperado ao ver que a Loucura ja estava nos noventa e nove.
- CEM! - gritou a Loucura. - Vou comecar a procurar...
A primeira a aparecer foi a Curiosidade, ja que nao aguentava mais querendo saber quem seria o proximo a contar.
Ao olhar para o lado, a Loucura viu a Duvida em cima de uma cerca sem saber em qual dos lados ficar para melhor se esconder. E assim foram aparecendo a Alegria, a Tristeza, a Timidez...
Quando estavam todos reunidos, a Curiosidade perguntou:
- Onde esta o Amor?
Ninguem o tinha visto.
A Loucura comeýou a procura-lo.
Procurou em cima da montanha, nos rios, debaixo das pedras e nada do Amor aparecer. Procurando por todos os lados, a Loucura viu uma roseira, pegou um pauzinho e comecou a procurar entre os galhos, quando de repente ouviu um grito.
Era o Amor, gritando por ter furado o olho com um espinho.
A Loucura nao sabia o que fazer. Pediu desculpas, implorou pelo perdao do Amor e prometeu segui-lo para sempre.
O Amor aceitou as desculpas.
Hoje, o Amor e cego e a Loucura acompanha-o sempre!

Bom Fim de Semana
Kissesssssssss Pequenita

O Sibarita said...

Olá! Só as palavras navegam no mar vermelho do coração poeta, por vezes em chamas, por vezes em fogo, por vezes em risos, por vezes em desejos e por vezes em tristeza. E, assim, o poeta vai navegando...

bjs.
O Sibarita

Té § [Pi]menta =) said...

que texto mais rico! rico em sentimento, rico em palavras, rico em emoção, rico em originalidade! sobretudo encantador! gostei muito! amei aquela parte : "Bebo gotas de ti e sobrevivo, depois escasseias(me) e quase morro…enfraqueço por aí." * bjinho

Stranger à la carte said...

aki fala-se do tempo??...vi bem???...tu q nao gostas...?!

bj

}}cleopatra{{ said...

Belo texto!
Apesar de triste...
Sim, há sempre um fim para tudo, espero que não seja já!

Beijo soprado

Anonymous said...

intiresno muito, obrigado