Wednesday, July 04, 2012

Coisas que outros dizem e que vale a pena ler.



Não me venham com merdas que a moda pode ser muito gira e a beleza um regalo para os olhos mas a verdade é que já enjoa. Enjoa ver meninas magrinhas e bronzeadas de pernas à mostra e lábios e unhas pintadas com as últimas cores da estação, mulheres siliconadas nas praias a mostrar o físico impecável ao qual se dedicam 7 dias por semana, os bronzeados perfeitos, as roupas mais in (isto ainda se diz?) sejam giras ou trapos medonhos o que importa é que apareçam nas revistas de preferência nos corpinhos anoréticos das celebridades, os brunchs e os posts no facebook mais as festas na praia e as idas aos festivais que mais parecem desfiles. Mulheres que se acham o máximo e capazes de papar qualquer gajo que lhes passe à frente, mulheres que têm medo de se expor, de sair de casa despenteadas, de serem apanhadas a fazer caretas, que se preocupam mais com o que os outros vão pensar do que com o que vai dentro das próprias cabeças. Poder não é um par de mamas de silicone nem unhas pintadas com verniz de gel. Poder não é um corpo perfeito num anúncio de televisão. Poder não é levar o chefe para a cama. Poder mesmo, daquele que nos permite tomar decisões, não vem com calções mini nem decotes até ao umbigo. Ter orgulho em ser mulher, saber ser mulher não é ir ao cabeleireiro uma vez por semana, pôr extensões só porque sim, dar risadinhas de prazer quando um homem faz um piropo imbecil ou usar as calças alapadas ao cú como dizia a Katyzinha, equilibradas em saltos vertiginosos para ir ao supermercado. Não têm de ser trambolhos vestidos com T-shirts quatro números acima mas caramba quem gasta tanto tempo a pensar no que vestir e como conjugar os 345 acessórios, maquilhar-se, andar bamboleante, ter um cabelo sem defeitos e um olhar lânguido não pode ter espaço para outras coisas. Para perceber que os homens continuam a mandar e a tomar todas as decisões. E não, não chega sermos nós a mandar lá em casa porque o mundo é bem maior e nós até estamos em maior número. O que eu gostava de saber é onde é que andam essas mulheres que estudam, as inteligentes, as que pensam e lêem e discutem, as que estão em maioria nas universidades. Se somos mais do que eles, e se até vivemos mais anos, porra, porque é que continuamos a ser Tatchers nas raras vezes em que conseguimos chegar lá a cima, masculinizadas à força para sermos respeitadas e ouvidas? Ou se mostra as mamas ou se veste calças. Não há meio termo, caraças? Quando é que a merda dos anúncios da televisão vão deixar de ter gajas boas mesmo que estejam a vender relógios? Quando é que as mulheres vão poder fazer programas de humor que não sejam empurrados para a programação das madrugadas em que está toda a gente a dormir? Quando é que as mulheres vão deixar de ser medidas pelo rabo e pelas mamas e pelo palmo de cara? E até quando é que as mulheres vão deixar que isso aconteça? Já não posso com a playboy e das outras todas, vestidas ou despidas, é tudo uma merda, parece um talho com as carnes à venda. Toda a gente gosta de se sentir desejada mas foda-se há vida para além da lingerie e dos olhares masculinos. Cambada de atrasadas mentais, pá. E um livrinho que não venha da secção esotérica ou de auto-ajuda, não?

4 comments:

Joana said...

Percebo o post, mas acho que é imensamente redutor em dois aspectos: as mulheres assim ainda são uma minoria (e ainda bem) e os homens também sofrem com esse estereótipo. Actualmente os homens já sentem a pressão da beleza, não fossem os anúncios também eles sobrecarregados com homens bonitos e musculados :)

Apesar de tudo eu acho que as coisas estão a mudar. Embora haja cada vez mais mulheres a renderem-se ao mundo da aparência exterior também há cada vez mais mulheres a revoltarem-se.

E, já agora, aproveito para dizer que as coisas não são tão 8 e 80. Eu arranjo-me, gosto de andar bonita e vou ao cabeleireiro de duas em duas semanas (só não uso extensões), e garanto-te que isso não é a minha vida e que sou perfeitamente capaz de ter conversas filosóficas e profundas ;)

Beijinhos e tem um bom dia :D

S* said...

Gosto imenso da leididi e este post só mostrou que ela é mesmo uma mulher de garra.

L' Amoureuse said...

Tem razão, tem muita razão.

Corre como uma menina said...

Também costumo seguir esse blogue. Acho que ela escreve muito bem, e esse estilo agressivo a escrever é típico dela. Compreendo o ponto de vista, embora, neste tipo de assuntos, se caia facilmente em generalizações.
Concordo com a Joana quando diz que os homens também já começam a sucumbir às pressões das tendencias e a ser "usados" na exploração dos corpos (basta ver o recente "filme" Magic Mike...)
Mas a verdade é que somos as primeiras a julgar-nos (e às outras) pela nossa aparência. Por exemplo, circula por aí uma imagem com a frase "A woman without curves is like jeans without pockets. You don't know where to put your hands"... E eu fico WTF?? Mas será que não percebem como isto é sexista e redutor? Somos um bocado de carne para as mãos masculinas?? Eu percebo a intenção da promoção do "corpo de mulher real" (seja lá o que isso for) por detrás disto, mas ainda há TANTO caminho a percorrer...