Friday, July 25, 2008

E ele diz que...






Acordo. Não estás. Revolto-me nos lençóis para extrair o que ainda lhes resta da tua essência e recuso-me a deixá-los. O teu sorriso ecoa nas paredes enquanto me chamas para me levantar. Não. Ausência. Não quero. Tu não estás cá. Deixa-me dormir e sonhar contigo. Adormeço profundamente. Acordo. Não estás ainda. Recordo momentos de felicidade que ainda não vivemos. Os sorrisos partilhados que ainda não demos correm na minha memória e com eles vêm os que já demos. As gargalhadas. As lágrimas. As conversas. Passado que me mutila o presente. A casa de banho está vazia. A cozinha está vazia. A sala está vazia. Ausência. Eu estou vazio. Aqui sem ti. Ouço-te no quarto. Vejo-te na sala. Estás em todo o lado e em lado nenhum. Estás no passado e no futuro. No presente és ausência. Ausência. Demência. Fazes-me falta e perco a sanidade. Não sei outra vez onde fica o norte. É sempre escuro neste túnel. E a viagem não acaba. Esta locomotiva alimentada a saudade nunca mais chega ao destino. Sinto-te aqui. Tão perto. Tão cheio de ti. Inundado pelo teu ser. Afogado na tua presença. Sou eu. Sou teu. Saudade. Amor. Meu. Por Ti. O meu anjo. O meu dia. O meu ar. Eu.
Amo-Te.




foto de http://silvershade-lynx.deviantart.com/art/amor-a-vista-18385404

2 comments:

Pedro Lopes said...

Pois diz... ele ama-Te mais que tudo e só vive para Ti, o coração só bate para Ti, o ar que respira é só para Ti... És tudo para ele...

Sou Teu. Amo-Te. Para sempre.

Catia said...

quando a saudade aperta =)**