Friday, April 27, 2007

what time is it?


Deitamo-nos sobre o soalho de madeira velha, húmida, cansada de histórias e pecados. Falamos em silêncio, um silêncio confortável que nos relembra aos dois o que é estar vivos. Eu deixo de saber em que penso. Peço tanto para deixar de sentir, para deixar de sentir o aperto que me esmaga a cada minuto. Sinto apenas que estás ali comigo pelo som fraco da tua respiração. Por segundos pergunto-me em que pensas tu.Mas isso não interessa, o meu objectivo é adormecer a alma, desligá-la da carne para sempre. Preciso de ti ao meu lado, mesmo em silêncio. Preciso para que me lembres que é por ti que o faço. Para te conseguir olhar como antes, para te olhar sem sentimentos.Fecho os olhos com força, imploro para que o aperto no peito desapareça (há quem lhe chame amor, eu prefiro assim.) quero tanto descansar, dormir sem a tua imagem desta vez. Tu permaneces ali deitado. Tranquilo. Mais uma vez não te resisto e olho-te ternamente. O teu rosto está sereno. Queria mesmo saber em que pensas. Volto a concentrar-me em mim, esforço-me por fingir que não existes. É aqui que o tempo pára. [Parada no tempo]. Não sei se são horas ou apenas uns segundos mas deixo-me levar. Vagueio por aí, livre. Deixo-te de parte. Deixo de te sentir em mim, na minha pela. No meu olhar. Acordo e o que sinto não é alívio mas sim um medo intenso de te ter perdido para sempre. Percebo finalmente que não posso não te ter. Não quero desistir de te ter, de te trazer comigo. Viro o mundo de pernas para o ar se for preciso. Vou entender-te. Vou decorar-te. Saber tudo o que te contorna. Vou falar o teu dialecto até que as minhas palavras te soem a verdades e não apenas a palavras. Vou guardar-te em mim, dentro de mim. Levanto-me e sorrio desta vez. Agora sei.




[Give yourself a chance to breathe
I'll give you the room you need

No place in you for me
And me, I need you so]


/eu própria

7 comments:

Principessa said...

que belo texto =)

Gabriel said...

Lindíssimo Andy!Ainda bem k tás de volta...é sempre um prazer! ***

Pedro Lopes said...

hora de acordar....

*

mInErVa said...

Lindo... À coisas pelas quais vale a pena lutar.
Bjinho grande
MiN

FB said...

Tas a espera do que para te deixares ser feliz?

***

S. said...

Deixa-te levar.

Porque não?

[Bonito.]

Nilson Barcelli said...

Muitas vezes, só damos o verdadeiro valor a uma coisa quando experimentamos a sua perda.
Reflectir, ajudará a perceber isso sem o doloroso exercício da realidade.
Gostei da maneira como trancreveste para o papel essa reflexão.
Bom fim-de-semana.
Beijos.