Thursday, April 12, 2007

Escondida


Ouço um ruído insuportável. Este ruído tortura. Desfaz-me aos poucos. Calmamente.
Contorço-me de dores. Arrepio-me ao som penetrante dessas vozes. São vozes esse ruído.
Passeio-me por aí envolta em dialectos que não percebo mas que me atormentam. Estão a consumir-me devagarinho, deliciando-se com o prazer desmedido que isso lhes provoca. Vozes cruéis. Vozes numa língua que eu não entendo. Não me foi concedido esse poder.
Apenas as consigo calar por instantes que me parecem inexistentes, de tanta falta que me fazem.
Tornam-me vulnerável. Despida de quaisquer protecções.

Eu acho que sei como as calar mas tenho medo.
Escondo-me.
Torno-me transparente por estes lados.

[Where do the voices come from?]


- Andamos cá com um feitiozinho...


/eu própria

7 comments:

FB said...

n te escondas...assim nao te encontram...

S. said...

Já diria Pessoa, ficamos por aí a assistir à nossa passagem...

Pedro Lopes said...

?

lol

gosto das escolhas das fotos... tens de me dizer onde as procuras!

Quando o Teu Corpo e o Meu... said...

Passo para deixar um abraço e uma enorme beijoca desejando assim um Bom Fim de Semana recheado de amor e prazer...

}}cleopatra{{ said...

Não te escondas das vozes, enfrenta-as de olhos nos olhos!
Se te escondes... elas fazem pior!

Beijinho soprado

SONY said...

Olá ,venho pessoalmente te convidar para uma viagem:
depressa vai reservar o lugar!
Vais gostar do destino!Aceito sugestões!Do percurso!
Um bj sony

Nilson Barcelli said...

Escondes-te transparente. És atormentada por dialectos que não percebes. Vozes que te torturam mas que te fazem falta. Feitiozinho? Diria antes feitiozão... essas vozes não virão do teu coração?
Bom fim-de-semana.
Beijo.