Sunday, March 18, 2007

Ingenuidade e Estupidez


Será que tenho que te gritar aos ouvidos, gritar tanto que a minha voz estridente te faça doer, ferir a alma, gritar até fechares os olhos, até não aguentares a minha voz e as palavras que insistes em não perceber.
Será que tenho que sair por aí insana. LOUCA. Sair por aí e escrever em todas as paredes com cores berrantes (talvez a tua preferida. Talvez.). Escrever de uma vez por todas, escrever em letras bem desenhadas como as que aprendi na primária, escrever sem rodeios, de forma a que percebas.
Será que tenho que entrar na tua casa, deixar-te papelinhos amarelos por todo o lado. Deixar notas no frigorífico ou à entrada.
Será que tenho que repetir a mesma coisa horas a horas até que te fartes de me ouvir e digas “já chega, já percebi”!
Será que tenho que gritar o teu nome para que saibas de uma vez que é o teu que eu quero.
Será que tenho que escrever nas árvores. Pegar numa faca e cravar o teu nome junto do meu. Escolher todas as árvores e deixar bem simples em todas que é a ti que eu quero.
Será que tenho de te perseguir, conhecer os teus passos todos. Conhecer-te melhor a ti. Saber onde vais, o que queres, saber com quem andas, saber com quem sonhas, o que te faz sorrir, porque choras às vezes, porque tens pequenas manias que não me queres explicar. Talvez assim, talvez se te souber de cor, talvez se te conhecer profundamente, se te explorar ao mais íntimo tu repares em mim.
Será que tenho que ser irritante, encher a tua caixa de mensagens, enviar mil emails por dia, fazer-te centenas de telefonemas e colocar em todos apenas as palavras certas.
Será que só escrevendo no final deste texto o teu nome com letras tamanho gigante a vermelho forte, o teu nome todo. Com todas as letras.
Será que tu não sabes mesmo. Será que sabes e não te dá jeito dizer que sabes. Será que não queres mesmo saber. É o quê? (Ingenuidade ou Estupidez?)

Será?

(será que vou ter coragem para alguma dessas coisas? Ou vou esperar assim? Calmamente. Até eu me esquecer)



/eu própria

1 comment:

Pedro Lopes said...

Bem...

Eu como sou uma pessoa directa (ou tento pelo menos) acho que se tens algo a dizer... oh pah... diz! lol

Mas isso sou só eu que sou ingénuo... A realdade das pessoas crescidas é diferente!

**