Thursday, December 07, 2006

Are you happy?


Apareces subtilmente. Naquela hora exacta, como se costuma dizer, chegaste na hora certa. Precisava tanto de ti. É engraçado como às vezes precisamos de pessoas que nem sequer conhecemos. Foi fácil apaixonar-me pelas tuas palavras, pelos teus mimos, pela tua atenção (quase) permanente. (Quase) perfeita. (Quase) só minha. Apagaste todos os meus medos, calaste as minhas dúvidas. À força? Não sei, já não me consigo lembrar.
Mas sei que me levaste contigo, sei que cheguei a andar completamente à deriva por aí, à tua vontade, ao sabor do teu suspiro, do teu sopro. Suspiras para mim e eu dou-te o meu mundo. Criaste um mundo só nosso, onde brilhavas para mim, onde cuidavas de mim, onde eu julguei mais ninguém lhe pertencer. Menina ingénua. Ingenuidade que nasce de certezas.
Lembro-me de achar que nada nos separava, nem mesmo os quilómetros que ousavam desafiar-nos, nos impediram de amar. Será amor a palavra certa?
E amámos…e eu sei que te senti, sei que por momentos infinitos te perdeste em mim. Quantas vezes te obriguei a dizer que era só tua? E agora sei que dizias apenas que era tua, pensavas ser só um capricho meu? Ou sabias que me estavas a mentir?

Depois quero contar-(te) o resto e não me lembro.

Sim, esfumou-se…
Não sei o que aconteceu, não quero saber!
Não sei como desapareceste da minha vida, não sei como te esqueci, não sei se me esqueceste, não sei como passei a acordar sem ti, como (re)aprendi a sorrir, não me lembro de não te ter sempre comigo.
Não sei mesmo como continuei a ouvir música, a caminhar, a escrever, a pensar, a passear por aí, a adormecer, a divertir-me, sem ti. Não sei como deixei de te contar o meu dia, de rir das tuas parvoíces, não sei como fechei de novo os olhos sem ver o teu reflexo em mim.
Não sei como sobrevivi sem as tuas mensagens doidas a meio da noite, sem os teus telefonemas só para dizeres tolices que eu amava, que eu queria.
Custa-me não me lembrar. O ódio nunca passou por mim. Rancor? Raiva? Esses há muito que ser foram…
E eu pergunto, o que restou de ti então?
Para onde foi aquele sentimento “por nós criado”?
Onde estás agora? O que fazes nas horas vagas? Quem te acorda? Quem te adormece à noite? Quem te faz sorrir? Quem Amas?

És feliz?
Faço-te a pergunta pela segunda vez…
Anseio um dia conhecer a resposta!

Querias que escrevesse para ti, escrevo a dormir, escrevo a sonhar…


Chiuuuu !!!

Amanhã, não contes a ninguém…



/eu própria

21 comments:

Té § [Pi]menta =) said...

o meu texto preferido, sem dúvida! :) dás a entender q não querias q tudo acabasse... e adoro a forma como o fazes!ainda gostas, no fundo ainda amas... então luta pela tua felicidade! mais ng o pode fazer por ti! * bjinho *

Nilson Barcelli said...

Há amores que chegam ao fim.
Uns rapidamente, outros não.
Outros há que perduram pela vida fora.
Como saber qual é o verdadeiro e eterno amor?
Não há forma, pelo que sei...
Enfim, melhores dias virão.
Bo fim-de-semana.
Beijos.

Pedro Lopes said...

ena pa altamente!

as pessoas às vezes deixam um vazio assim e seguem as suas vidas... esse parece ser sempre o caminho mais dificil a percorrer mas é o caminho que o tempo e a distância ajudam a traçar...

mas todos os caminhos se cruzam felizmente... até mesmo duas rectas paralelas se cruzam, no infinito!

delilah said...

é bonito o que aqui cantas.
gosto
*

delfim peixoto said...

E mesmo assim,< escreves muito bem.
jnhs doces

Escuta o teu mundo... said...

A vida continua, e á que aprender com tudo... quer seja bom ou mau.
A alegria de viver respira em cada letras que escreves, por isso não tenhas nunca medo de ser feliz e correr atrás do que te dá felicidade.
Bj

miguel said...

oh, muito bonito! :D

finalmente um texto na net que não tá cheio de metáforas inventadas sem nenhum sentido, estilo "bebo as tuas nuvens de ausência" ou "caminhas sobre a estrada do meu calor" ou até "uma hora da vida que renasce para te ver sorrir de dentro, de verdade, sem crise demorada no quarto que chora, um pensamento eterno mas cosido com linha de saudade"... por amor de deus!!!

como é bom ler um texto interessante, com sentimentos em vez de tretas!

e além disso recordou-me experiências minhas, pq tb jah esqueci grandes amores.

"those who have never been in love, need not forget"

joaninha said...

Lindo, lindo, lindo!
Nem sei que dizer, nem sequer se deva dizer o que quer que seja.
Parabéns pelo texto. Não deixes que tudo se esfume no tempo, vale a pena "guardar só o que é bom de guardar" Mesmo que muitas dessas recordações nos façam sofrer um bocadinho... :)

Beijinho*

Anonymous said...

Escreves tal como sentes, muito sentido este texto...Deixas passar o saudade duma maneira que toca em todos nós.
Tanta saudade...

Um doce sonho para ti.

Anonymous said...

Houve qualquer coisa em mim que estremeceu nas tuas palavras. Talvez porque hoje tenha sido o dia certo para aprender a esquecer. Respirei profundamente a serenidade nostálgica das tuas dúvidas e anseios, como uma melodia triste, falando de amores imperfeitos. Lindíssimo.

Voltarei.

}}cleopatra{{ said...

Uma carta â moda antiga?
É... parece ser mesmo!
Talvez ele te responda...
Talvez te surpreenda!

Beijinho soprado

pequenita (quando o teu corpo e o meu) said...

Gosto desse teu ar tristonho,
desse olhar de melancolia,
mesmo nos momentos de prazer e de sonho,
ou nos instantes de amor e de alegria...

Gosto dessa tua expressão de ternura
tão suave e feminina,
desse olhar de ventura
com um brilho úmido a luzir num profundo langor...
Desse teu olhar de meiguice que me cativa e domina,
tu que dás sempre a impressão de quem precisa
de proteção e amor...

Desse teu ar de menina, desse teu ar
que te faz mais mulher
ao meu olhar...

Gosto de tua voz, tranqüila, do tom manso
com que falas, como se acariciasses
até as palavras que dizes;
de tua presença, que é assim como um quieto remanso,
um pedaço de sombra onde me abrigo
quando somos felizes...

Gosto desse teu jeito calmo, sossegado,
com que te encostas em meu peito
e te deixas ficar
entre ternuras e embaraços,
como se tudo ficasse, de repente, parado,
e teu mundo pudesse ser delimitado
pelos meus braços...

Gosto de ti assim, pequenina, macia,
quando te aperto contra mim e te sinto
minha
(inteiramente nua)
e tens um ar abandonado, como quem caminha
sonâmbula, por um estranho caminho
feito de céu e de lua...

Bom fim de semana.......beijocasssssssssssssss by Pequenita

BlueShell said...

BEIJOS; BEIJOS; BEIJOS; BEIJOS;

BEIJOS; BEIJOS; BEIJOS; BEIJOS;

BEIJOS; BEIJOS; BEIJOS; BEIJOS;

BEIJOS; BEIJOS; BEIJOS; BEIJOS;

BEIJOS; BEIJOS; BEIJOS; BEIJOS;

BEIJOS; BEIJOS; BEIJOS; BEIJOS;

BEIJOS; BEIJOS; BEIJOS; BEIJOS;

BEIJOS; BEIJOS; BEIJOS; BEIJOS;

BEIJOS; BEIJOS; BEIJOS; BEIJOS;

BEIJOS; BEIJOS; BEIJOS; BEIJOS;

BEIJOS; BEIJOS; BEIJOS; BEIJOS;

BEIJOS; BEIJOS; BEIJOS; BEIJOS;

BEIJOS; BEIJOS; BEIJOS; BEIJOS;

Saramar said...

Menina, este certamente é o mais bonito e mais triste manifesto do amor perdido.
Maravilhoso!
Beijos e feliz natal!

pequenita (quando o teu corpo e o meu) said...

Um dia, Gabriel acordou, muito contente,
era a véspera de Natal,
pois para ele era uma data muito importante!
Era o dia do Aniversário do Menino Jesus,
e também o dia que Papai Noel
vinha visitá-lo todos os anos.
Com seus seis aninhos,
esperava ansiosamente o cair da noite para
voltar a dormir,
e no outro dia encontrar em seu pé de meia,
o seu presente de Natal,
pois nem tinha uma árvore de Natal.
Dormiu muito tarde,
para ver se pegava aquele velhinho no "flagra",
mas como o sono era maior que sua vontade,
dormiu profundamente.

Mas, na manhã de Natal,
percebeu que seu pé de meia não estava lá,
e que não havia presente nenhum em toda sua casa.

Seu pai desempregado, com os olhos cheios de água,
observava atentamente o seu filho,
e esperava para tomar coragem
para falar que o seu sonho não existia,
e com muita dor no coração, o chama:

- Gabriel, meu filho, vem cá!
- Papai?
- O que foi filho?
- O Papai Noel se esqueceu de mim...

Falando isso, Gabriel abraça o pai,
e os dois se põem a chorar,
quando Gabriel fala:
- Ele também se esqueceu de você pai?
- Não meu filho.
O melhor presente que eu poderia ter ganhado na vida,
está em meus braços,
e fique tranqüilo pois eu sei que o Papai Noel não
se esqueceu de você.
- Mas todas as outras crianças vizinhas
estão brincando com seus presentes...
ele pulou a nossa casa...
- Pulou não...o seu presente está te abraçando agora,
e vai te levar para um dos melhores passeios de sua vida!
E assim foram para um parque,
e Gabriel brincou com o pai durante o resto
do dia, voltando somente no começo da noite.
Chegando em casa muito sonolento,
Gabriel foi para seu quarto,
e "escreveu" para o Papai Noel:

"Querido Papai Noel,

Eu sei que é cedo demais para pedir alguma coisa,
mas quero agradecer o presente que o senhor me deu.
Desejo que todos os Natais que eu passe,
faça com que meu pai se esqueça de seus problemas,
e que ele possa se distrair comigo,
passando uma tarde maravilhosa como a de hoje.
Obrigado pela minha vida,
pois descobri que não são com brinquedos que
somos felizes, e sim,
com o verdadeiro sentimento que está dentro de nós,
que o senhor desperta nos Natais.

De quem te agradece por tudo,

Gabriel."

E foi dormir com um lindo sorriso nos lábios.

Entrando no quarto para dar boa noite ao seu filho,
o pai de Gabriel viu a cartinha,
e a partir desse dia, não deixou que seus
problemas afectassem a felicidade dele,
e começou a fazer que todo dia fosse um Natal para ambos.

Se um simples garotinho de seis anos,
conseguiu perceber que os melhores presentes
que se pode receber não são materiais,
porque nós não fazemos o mesmo?
Que todos vocês que estão lendo esta mensagem,
faça com que cada dia seja um Natal,
valorizando a amizade,
carinho e todos os sentimentos
bons que existem dentro de cada um,
e depende somente de nós mesmos
para botar pra fora...

FELIZ NATAL AMIGO

beijocassssss

}}cleopatra{{ said...

A felicidade é feita de momentos…
Momentos que nos enchem de alegria!
Como uma onda…
Que chega e nos invade o corpo e a mente!
Parecem instantes de verdadeira magia…
Há pessoas que conhecemos há muito tempo…
Alguns desde crianças
A quem chamamos amigos verdadeiros!
Mas há também os outros…
Aqueles que conhecemos há pouco tempo
E nos deram provas da sua amizade genuína…!
E há ainda os outros…
Os que conhecemos através de uma máquina
Uma máquina maravilhosa!
Nunca lhes vimos o rosto
Mas conhecemos-lhe as palavras… o jeito carinhoso…
Esses, são os amigos virtuais…
Os quais nos oferecem muitos daqueles momentos
Momentos de alegria…
Que fazem a nossa felicidade!
Tu… ès um deles! Obrigada!!

Um Feliz Natal para ti!

Escuta o teu mundo... said...

Bom NAtal e um optimo ano novo com tudo de bom.
Gostei muito do texto. :)
Bj

Stranger à la carte said...

oi oi menina-que-não-gosta-do-tempo...

FELIZ NATAL

Nilson Barcelli said...

Um feliz Natal e um bom ano de 2007, para ti e para a tua família.
Beijos.

Anonymous said...

Se hoje veres um velho barbudo de vermelho a descer a chaminé... já sabes pró ano bebe menos! Um Natal e Ano Novo com tudo o que te faz Feliz!

Anonymous said...

Gosto de ti assim, lutadora =) cais, levantas-te e lutas!! É assim que se enfrenta tudo e todos!!

E o que eu quero, é que sejas feliz!

beijo **